A riqueza da simplicidade

Dorival era um amante da simplicidade. Não gostava de luxo. Gostava era de ver a graça das coisas. De encontrar, nas idas e vindas do cotidiano, a chance de uma boa risada.

No coração dos que o conheceram e aprenderam com o seu exemplo, ele vai estar sempre. E no peito de sua filha Aline, ele agora segue também do lado de fora.

Dorival, que não gostava de luxo, deixou a riqueza infinita de uma vida que merece ser, pra sempre, lembrada…

Uma vida que merece ser lembrada…

No coração da Isabela surgiu um desejo: homenagear o avô, Aristides, e sua história de amor que durou uma vida inteira.

Aristides e Lolita foram, um dia, um casal de jovens apaixonados. Atravessaram a vida juntos, repartiram a existência com suas dores e suas alegrias, construíram uma família. Viram os anos chegando e partindo, os filhos crescendo, os netos surgindo, o mundo se transformando tantas e tantas vezes…

Mas uma coisa não mudou: o amor e a dedicação de Aristides. Ele cuidou da sua amada Lolita até a hora da despedida. Nem um dia a menos. Nem um minuto a menos!

O relicário que a Isabela escolheu leva duas fotos de Lolita: uma ainda jovem e a outra já com as marcas que o amor esculpiu nos anos que repartiram.

O amor tem dessas coisas… Inspira a gente a viver uma história que mereça ser homenageada.

E você? Conhece alguém que merece um presente assim?